Entenda como a recapagem é decisiva para o desempenho de seu caminhão

Entenda como a recapagem é decisiva para o desempenho de seu caminhão

Trabalhar na estrada, além de ser cansativo, exige muito cuidado. O Brasil tem milhares de caminhoneiros que trabalham arduamente. Autônomos ou para empresas de transportes, a verdade é que dirigir pelo Brasil não é uma tarefa fácil e traz custos altos, afinal, a ferramenta de trabalho é um caminhão.

Cumprir prazos, passar noites em claro, organizar carregamento e descarregamento e, no meio disso tudo, problemas podem surgir. Na maioria dos casos, os pneus são os responsáveis por levar um caminhão à oficina. Isso acontece porque, se os pneus não estiverem em perfeito estado de funcionamento, as chances de acontecer um acidente são ainda mais altas.

Para termos uma ideia, o pneu de um caminhão custa, em média, R$ 1.500,00 (Us$ 385,62 em 12/07/2018). Se a cada vez que houver um problema fosse necessário realizar sua troca, custaria uma fortuna.

Uma alternativa para minimizar esse custo é o processo de recapagem. Rápido, econômico e muito utilizado.

Você sabe como funciona esse processo, que tem como objetivo restaurar o pneu para reestabelecer suas condições de desempenho com qualidade? Saiba agora tudo sobre a recapagem do pneu.

 

O que é recapagem e quando ela deve ser feita?

Muito conhecida entre os motoristas em geral, a recapagem é basicamente uma reforma da carcaça de pneu onde nesta é aplicada uma nova banda de rodagem (tread).

Existem duas formas de realizar tal procedimento, são elas: “a frio” ou “a quente”.

Na modalidade “a frio”, a mais moderna, é utilizado no pneu uma banda pré-moldada. Essa borracha possui desenho originário de fábrica, e em sua confecção a prensagem recebe uma volumosa força, fazendo com que suas moléculas fiquem mais unidas e somado a excelentes matérias primas, proporciona tão grande desempenho quilometrico que supera muitas vezes o pneu novo (de fábrica). A temperatura utilizada nesse processo é de até 110ºC.

Por outro lado, “a quente”, é feita com uma manta de camelback. Nesse momento, a banda crua vai aplicada na carcaça e esta prensada em uma matriz formado o desenho da banda de rodagem. Este desenho sendo moldado na reformadora. A vulcanização se dará na temperatura de 150ºC. Além dessa temperatura ser excessivamente alta, o que danifica a carcaça, principalmente porque os pneus possuem a sua construção em aço, a borracha aplicada tem por característica não possuir muita dureza e ser pobre na essência, pois a pressão nos moldes utilizados nas reformadoras são de no máximo 150 psi.

A reforma do pneus deve ser feita no momento em que o motorista verifica que o desgaste da banda de rodagem já se encontra com 3 a 4 mm de suco, pois abaixo disso pode-se comprometer a recapabilidade deste pneu; mesmo havendo legislação instruindo para o mínimo de 1,6 mm de suco para reforma do pneu.

E não se engane: pneu é coisa séria e merece atenção! A maior parte das pessoas acaba se preocupando mais com a troca de óleo, por exemplo, ou com a mecânica do caminhão, e se esquecem de que o pneu é o 3º maior custo de sua frota. Nisso, o ganho em segurança, performance e, principalmente, economia podem ser percebidos com maior atenção nos pneus.

 

Entenda como é o processo de recapagem de pneu

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, reformar um pneu não é apenas aplicar uma nova banda. Há uma série de cuidados e procedimentos que devem ser seguidos minuciosamente para se obter uma recapagem perfeita Entenda, a seguir, como funcionam cada uma das fases de recuperação do pneu:

– Limpeza: aqui está o primeiro passo para recuperar o pneu, a limpeza serve para melhorar a visibilidade de sua inspeção e evitar contaminações;

– Inspeção: Pode ser auxiliada por equipamentos de alta tecnologia, a análise traz a possibilidade de encontrar quaisquer danos que possam existir na estrutura do pneu e tem o intuito de garantir se a peça está em boas condições e apta para ser reformada;

– Raspagem: os profissionais vão remover completamente o desenho original. O pneu é raspado e a carcaça ajustada com precisão. O objetivo aqui é ter uma rodagem que seja proporcional e uniforme o que, consequentemente, garante a durabilidade do pneu quando voltar para as estradas;

– Escareação: Nesta fase, que é a mais complexa, todos as pequenas perfurações, rasgaduras, orifícios nas carcaças são tratados;

– Conserto: Nesta fase são aplicados manchões com características de reforçar a carcaça na área perfurada e que tem como objetivo recompor a estrutura do pneu;

– Aplicação de bandas: Uma faixa adesiva, denominada “coxim” ou “ligação”, será fixada na banda de rodagem e esta aplicada a carcaça, unindo-as;

– Vulcanização: Chegamos à penúltima fase. Onde o pneu é montado com materiais e fixado dentro de uma autoclave, e ali receberá por um determinado tempo, uma temperatura e pressão uniformes, vulcanizando por fim a banda de rodagem na carcaça sem possibilidade de soltura.

– Inspeção Final: É o controle de qualidade, onde avaliamos se todos os requisitos de controle e tratamento foram utilizados e se carcaça foi reformada perfeitamente e está apta a ser entregue ao cliente.

 

Por que optar pelo procedimento de recapagem?

O processo de recapagem do pneu é bastante complexo para que seja capaz de garantir o máximo de integridade e de segurança para os pneus. Seguindo essas etapas corretamente, o resultado é um pneu que parece novo em folha e que está pronto para novos desafios e novas aventuras, além de ajudar a proteger o meio ambiente.

Outro fator decisivo na hora de fazer a recapagem é economia. Os valores são mais baixos (1/3 do pneu novo)  e o resultado, quando o procedimento é feito de forma profissional, equivale a 10% superior em performance de um pneu novo. Ou seja, pagando menos, você conta com uma maior performance e benefícios que um pneu novo oferece. Mas, é importante ressaltar que a possibilidade de recapagem precisa ser avaliada. Alguns pneus, dependendo do desgaste que apresenta e da quantidade de reformas pelas quais passou, não estão aptos a passar pelo procedimento. Consulte um especialista de confiança.

 

Quanto custa a reforma de pneus e quais suas vantagens?

Em uma possível comparação entre reformar um pneu ou comprar um novo, a recapagem leva grande vantagem! O maior diferencial está no preço, visto que custa 33% do valor do pneu novo. A boa notícia é que todo pneu de caminhão é fabricado para suportar recapagens.

Se a carcaça estiver em boas condições, pode receber entre duas a três recapagens, dependendo dos danos sofridos. Cada serviço custa em média R$ 400,00 (Us$ 103,01 em 12/07/2018) e o pneu pode rodar mais que o pneu novo, caso esteja em bom estado de conservação. Um pneu zero km para caminhão custa em torno de R$ 1.500,00 (Us$ 385,62 em 12/07/2018).

Algumas das vantagens de optar pela recapagem do pneu de seu caminhão, são:

– Economiza cerca de 66% em relação a um pneu novo;

– A partir da reforma, é possível contar a durabilidade superior;

– Esse processo, por mais simples que pareça, ajuda na preservação do meio ambiente. A estimativa é que uma recapagem economiza 70% de petróleo, minimizando, assim, o aquecimento global. (veja mais aqui)

Essas e outras vantagens tornam a reforma de pneus uma alternativa interessante e sustentável, tanto para empresas de transportes, quanto para caminhoneiros.

 

8 dicas para manter o bom desempenho do seu caminhão

Para aqueles que utilizam diariamente o caminhão para trabalhar, nada melhor do que cuidar do seu veículo. O que todos esperam é um bom rendimento, mas será que fazem o necessário para manter o caminhão sempre perfeito funcionamento?

Para te ajudar a refletir sobre isso, preparamos algumas dicas esclarecedoras que vão te ajudar a cuidar do seu caminhão. Confira:

  1. Não deixe de calibrar seu pneu, o ideal é a cada 15 dias, portanto, não deixe passar da hora;
  2. Busque rodar sempre dentro dos limites de velocidade estabelecidos;
  3. Uma manutenção correta e periódica do caminhão também é favorável;
  4. Não ultrapasse o limite de peso suportado no seu modelo de veículo;
  5. Evite buracos;
  6. Freadas bruscas também são prejudiciais ao veículo;
  7. Observe para que o pneu não chegue no indicador de uso da banda (TWI);
  8. O rodízio das rodas a cada 10.000 km rodados é muito importante e deve ser feito.

Como podemos perceber através dessas dicas, fazer o gerenciamento do ciclo de vida dos pneus do caminhão é o ponto principal para quem quer diminuir os custos por quilômetro rodado. Fique sempre atento!

 

Recapagem: Normas Internacionais de Segurança

O pneu é um dos itens mais importantes de um caminhão, seja ele truck ou qualquer outro modelo, pois é responsável por garantir segurança e estabilidade. O bom desempenho de um veículo deste tamanho e que chega a pesar muitas toneladas, também depende diretamente da condição do pneu. Por isso, as normas de segurança devem ser levadas em consideração.

Outro fato importante é se lembrar de verificar o TWI para identificar o momento da retirada das carcaças. Algumas marcas trazem essa informação para indicar quando deve ser feita a troca ou reforma do item.

 

Faça a recapagem de pneu com profissionais

Depois de conhecer todo o processo de recapagem de pneu, suas vantagens e a importância de ficar atento aos seus pneus, é preciso falar de um último – mas não menos importante – ponto sobre o assunto: a escolha da recapadora que será sua parceira.

Esse é um fator decisivo para garantir a qualidade do serviço. De que adianta fazer a recapagem e optar por uma empresa que não segue os padrões de qualidade?

Vale a pena solicitar o acesso ao interior da fábrica e conhecer o processo de produção ao vivo, percebendo como são tratadas as carcaças. Outro ponto importante é a tecnologia utilizada, quanto menos processo manual e mais automatização, melhor. É imperativo que a recapadora seja credenciada pelo INMETRO.

Por fim, verifique se a recapadora tem preocupação com os seus funcionários (segurança, limpeza, organização e padrões estabelecidos de produção) e com o meio ambiente, tratando o descarte sustentável e legal dos resíduos gerados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: